sábado, 23 de outubro de 2010

Icasa 3 X 1 Figueirense: faltou o brilho nos olhos

O Figueirense perdeu por 3 a 1 para o Icasa, em Juazeiro do Norte, nesta tarde, com inacreditável naturalidade.

Poderia ter levado mais uns dois gols que não seria injustiça, dada a passividade, a falta de gana, a falta de brilho nos olhos, que encarou o Verdão do Cariri.

O jogo era mais uma decisão, como todos nesta reta final, mas o Figueirense jogou como se fosse um jogo treino.

Não que fosse uma partida fácil, longe disso. O time cearense tem feito grandes partidas em sua casa e já aplicou até goleadas em times da ponta da tabela.

Já assisti algumas partidas do time da terra do Padre Cícero, e a única forma de vencê-lo lá é não deixar que goste do jogo, é entrar marcando como se tivesse ganhando de 1 a 0.

Se a situação já estava difícil, o árbitro da partida tratou de complicar de vez, ao expulsar injustamente Vinícius Pacheco, que levou o segundo amarelo ao colocar a mão para se defender de uma bola chutada em direção a sua barriga. Poderia até marcar o toque, mas nesses casos nenhum árbitro pode dar cartão, já que não é um toque acintoso, em que o atleta reage mais no reflexo para se defender.

Outro lance polêmico foi numa jogada em que Firmino cruzou rasteiro e o defensor caiu de braços abertos e tocou na bola com a mão. Nesse caso ele acertou, pois o jogador fez o movimento normal de quem está caindo, ou seja, ninguém cai com os braços colados ao corpo. Embora contra o Figueirense tenha sido marcado um pênalti idêntico, em uma jogada envolvendo Ânderson Luiz, se não me engano numa partida contra o Sport, em 2008.

Foi uma partida para esquecer e nem parece aquele time que deu um banho no Bahia, há quatro dias.

Ainda bem que a rodada foi excelente para o Figueirense, com a derrota de América-MG, Ponte e Lusa, além do empate do Sport, em casa, diante do Náutico, que deixou o Figueira a cinco pontos do time pernambucano, 5º colocado, ainda uma boa vantagem.

Agora, no próximo sábado, será a decisão das decisões, justamente contra o Sport, e uma vitória abrirá uma diferença de oito pontos em relação ao adversário, um passo decisivo em direção ao paraíso.

Espero que nesse jogo, assim como ocorreu nas decisões diante do Coxa, da Ponte e do Bahia, eu veja o que não vi hoje: brilho nos olhos dos atletas alvinegros.

4 comentários:

  1. É verdade. Que passividade horrorosa. Aliás tem sido essa a tônica do time, sempre que enfrenta um time que está muito abaixo dele na tabela. Nosso time é muito instável.

    Dimaris

    ResponderExcluir
  2. Olha ai o perigo do Serra, vejam que ele Serra esta aparelhado pela a Cia neste link http://correiodobrasil.com.br/fundacao-denuncia-esquema-golpista-patrocinado-pela-cia-no-brasil/187036/

    ResponderExcluir
  3. com certeza o time nao agradou a ninguem.. mas convenhamos: esta dificil qualquer time do nosso nivel vencer uma partida em que willian, fernandes, maicon e wilson estao de fora (4 dos principais atletas).. isso sem contar os 3 volantes e a expulsao de um atleta logo no inicio do segundo tempo. ai nem a Inter de Milao

    ResponderExcluir
  4. hino do avai na versão chico mineiro;

    Fizemos a última viagem
    Foi lá pro sertão de Goiás.
    Foi eu e o tal do Zunino
    também foi todos os rapaz.
    Viajemo muitos dia
    pra chegar em Ouro Fino
    aonde nós passemo a noite
    numa festa do Divino.
    A festa estava tão boa
    mas antes não tivesse ido
    o Avai foi goleado
    por um time desconhecido.
    Larguei de comprar ingresso.
    enterraram meu Avai.
    Acabou-se o sonho da bola,
    acabou-se a Série A.
    Depois daquela tragédia
    fiquei mais aborrecido.
    Não sabia da nossa amizade
    porque nós dois era unido.
    Quando li seus regulamento
    me cortou o coração
    de sabê que o meu Avai
    era time de série B

    não rimo mas ta na b kkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir

Em vez de comentar como "Anônimo", prefira "Nome e URL" e coloque apenas o nome ou apelido se não possuir blog ou site.

Seguidores