sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Caso Evandro: amadorismo

Foto do site do Figueirense

A palavra é forte e procurei insistentemente uma para substituí-la, mas, infelizmente, não encontrei outra que definisse essa trapalhada da Diretoria no "Caso Evandro": é o mais puro amadorismo.

Quando li a notícia de que Evandro viria para o Figueirense, comentei com um colega de trabalho que achava estranho, pois a própria notícia já trazia a informação de que o jogador já havia atuado por dois clubes na Série A (limite máximo - art. 38 do RGC - http://www.cbf.com.br/rgc/rgc2010.pdf), mas achei que eu estava procurando chifre em cabeça de cavalo, que haveria alguma coisa errada na informação, pois imaginei que o Figueirense não cometeria uma trapalhada dessas, uma falha tão primária, diante de uma regra tão discutida, que já gerou diversas polêmicas.

É inacreditável que o clube primeiro tenha negociado, assinado um precontrato e até anunciado oficialmente o jogador, para só depois verificar se poderia ser inscrito na competição (se é que verificou, se não foi informado por alguém de fora da irregularidade).

É inacreditável que não se obtenha um parecer formal da área jurídica do clube antes de iniciar um processo de contratação de um atleta ou pelo menos antes de fechar o negócio (mesmo que um precontrato) e anunciar a contratação.

Isso mostra que o episódio Édson Galvão não serviu para nada, que as falhas nessa área não foram sanadas, que nenhuma providência foi tomada para que o clube não corra o risco de escalar algum atleta irregular. Isso é preocupante.

Esse episódio do Evandro, além de arranhar a imagem do clube e mostrar que essa área continua uma bagunça, ainda criou um embaraço tremendo para o atleta, que agora fica num beco sem saída.

5 comentários:

  1. Também tem o caso Carlinhos Santos em que o Figueirense acertou com o jogador e não falou com o Joinville. Deu no que deu.

    Vergonhoso, isso sim, mas ainda bem que alguma alma caridosa avisou antes. Imagina ele jogar e o Figueira perder pontos? Foi quase!

    abraço

    ResponderExcluir
  2. No caso Carlinhos Santos acho que foi diferente, pois o único erro foi ter anunciado o atleta sem ter assinado. Houve apenas precipitação.
    Agora falhas como essas do Evandro e do Galvão podem acabar com o ano do Figueirense. São muito graves e precisam ser corrigidas definitivamente.
    Mostra também que o pessoal da área jurídica não atua em sintonia com a área de futebol.
    Agora, o cúmulo do cúmulo seria o jurídico ter sido consultado e dado parecer favorável.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  3. Rycardo Silva25/09/2010 07:16

    Dai Galera sou Rycardo Silva - Torcedor Alvinegro de Coração - Encontrei uma nova radio pra curtir meu Time - A Radio Vale de Tijucas - ( AM 950 ) Lá não tem Gauxada nem donos da verdade - Ouça e confira - Abração Alvinegro

    ResponderExcluir
  4. não foi nada de amadorismo,o Figueirense ja sabia da situação,tanto que o Evandro não assinou NENHUM contrato e o figueira não perderá dinheiro nenhum nisso

    ResponderExcluir
  5. Então tá, foi um exemplo de profissionalismo, tanto que é comum em todos os grandes clubes do Brasil. Primeiro se anuncia, inclusive no site oficial, e depois dá uma conferida na norma para verificar se pode inscrever o atleta. Se você prefere assim.
    Abraço

    ResponderExcluir

Em vez de comentar como "Anônimo", prefira "Nome e URL" e coloque apenas o nome ou apelido se não possuir blog ou site.

Seguidores